Casa na Mouraria

casa-mouraria-1
casa-mouraria-2

O estúdio de arquitectura Arriba deu uma nova vida a este apartamento de 55 metros quadrados, num edifício do início do século XX, no bairro histórico da Mouraria, em Lisboa. As transformações de que foi alvo ao longo dos anos resultaram na compartimentação de um espaço já reduzido, com uma ligação ambígua entre as áreas social e privada da habitação e uma relação com a rua pouco explorada.

Architecture studio Arriba gave a new life to this 55 square meters apartment, in a building of the early 20th century, in the historic neighborhood of Mouraria, in Lisbon. The transformations that has undergone over the years, resulted in the compartmentalisation of an already reduced space, with an ambiguous connection between the social and private areas of the house and underexplored relationship with the street.

casa-mouraria-3
casa-mouraria-4
casa-mouraria-5
casa-mouraria-6
casa-mouraria-7
casa-mouraria-8
casa-mouraria-9
casa-mouraria-10
casa-mouraria-11
casa-mouraria-12
casa-mouraria-13
casa-mouraria-14
casa-mouraria-15

Um dos objectivos da intervenção foi abrir a área social da casa para o exterior, unindo a sala e a cozinha, num gesto que ocupa toda a extensão da fachada. Os espaços de circulação foram reduzidos a dimensões mínimas, numa caixa que se abre ou fecha para a zona social, racionalizando a distribuição para os restantes espaços privados. Esta nova configuração, mais flexível, resguarda os quartos, permitindo ter calma ou agitação em momentos distintos, como se desejar.
A conservação e restauro dos materiais originais, como as carpintarias e os estuques, foi outra das premissas do projecto, de modo a que as preexistências e os elementos novos combinassem tranquilamente. Para isso contribui também o estilo minimal da habitação, com escassos elementos decorativos de cores neutras. O maior contraste é entre o branco que ilumina as paredes e alguns apontamentos coloridos que caracterizam a casa, como o cinzento escuro da caixa que emoldura os quartos, o amarelo dos mosaicos hidráulicos no quarto principal e o azul da porta de entrada.

One of the aims of the intervention was to open the social area of the house to the outside, connecting the living room and the kitchen, in a gesture that occupies the whole length of the facade. The circulation spaces were reduced to minimum dimensions, in a box that opens or closes to the social area, rationalizing the distribution for the remaining private spaces. This new configuration, more flexible, protects the bedrooms, allowing serenity or agitation in distinct moments, as desired.
The conservation and restoration of the original materials, such as carpentry and stuccowork, was another of the premises of the project, so that the pre-existing elements and the new ones combined smoothly. For this also contributes the apartment’s minimal style, with few decorative elements of neutral colors. The biggest contrast is between the white that illuminates the walls and some colorful notes that characterize the house, as the dark gray box framing the rooms, the yellow hydraulic tiles in the master bedroom and the blue of the entrance door.


Via: Arriba
Photo: Ricardo Oliveira Alves